Search

Cannabis e endometriose: uma nova perspectiva para a saúde da mulher

Segundo a Anvisa, cerca de 10% das mulheres são afetadas pela endometriose - um distúrbio no qual o tecido, que normalmente reveste o útero, cresce fora dele. As consequências são dor, constipação, menstruação anormal e em alguns casos, prejudica também a fertilidade.

Apesar de comuns, as dores causadas não só pela endometriose, como por outras complicações ginecológicas, não são fáceis de suportar e dificultam o cotidiano de mulheres que, em nossa sociedade, tendem a ser multitarefas, sendo responsáveis pelo trabalho, pelos estudos, pelos filhos e muito mais - muito mais mesmo. Se sentir dor já é algo ruim, fica ainda pior nesse contexto de sobrecarga e jornadas duplas ou até mesmo triplas de trabalho.

O diagnóstico da endometriose pode ser difícil e as opções de tratamento escassas. Mas isso pode mudar. Pesquisas têm demonstrado que a cannabis e os seus componentes podem beneficiar a saúde feminina de diversas formas e tratar a endometriose para proporcionar mais qualidade de vida e bem-estar é uma delas.

Começando do início: Sistema endocanabinóide

Talvez você se lembre de ter aprendido na escola sobre os sistemas do corpo, como respiratório, digestório e imunológico. O Sistema Endocanabinoide é mais um deles, mas sua descoberta ainda é recente - foi identificado há menos de 30 anos. Por isso, corre um grande risco de você ainda não ter ouvido falar a respeito. Esse sistema é responsável pela homeostase, que nada mais é do que o equilíbrio do organismo. Também chamado de SEC, ele cuida da comunicação entre os sistemas do corpo, e regula funções fundamentais para a sobrevivência humana como o sono e a fome. Ele é composto basicamente por 3 peças-chave:

1- Endocanabinóides - São os canabinóides que o seu corpo produz naturalmente.

2- Receptores canabinóides - Onde os canabinoides produzidos se ligam para promover as ações que visam a homeostase.

3- Enzimas metabólicas - que sintetizam e degradam os canabinóides quando o seu corpo já retomou o equilíbrio.

A Cannabis

Sistema Endocanabinóide. Parece familiar, certo? E de fato deveria ser, pois foi através dos estudos sobre a cannabis que esse incrível e tão importante sistema foi descoberto. Ele foi, inclusive, batizado em homenagem a ela.

Descobriu-se que a planta produz substâncias muito parecidas com as que são produzidas pelo nosso corpo. Tão semelhantes que são capazes de se ligar aos mesmos receptores do organismo. Desta forma, quando há algum desequilíbrio no sistema endocanabinóide, os componentes da cannabis são capazes de se conectar aos receptores e promover as ações que, como vimos acima, são benéficas para manter o corpo trabalhando de forma saudável. Nestes casos, as substâncias da cannabis funcionam como uma espécie de suplemento.

Cannabis na endometriose

Você sabia que o sistema endocanabinóide é essencial para o funcionamento saudável do trato reprodutivo? E é exatamente no trato reprodutivo feminino que encontramos a segunda maior concentração de receptores endocanabinóides do corpo - a primeira é no cérebro. Por este motivo, a comunidade científica tem se interessado pela cannabis para tratar a endometriose.

Atualmente, as pesquisas fornecem dados importantes sobre a ação dos canabinóides no tratamento da endometriose. Estes componentes da cannabis promovem ações fundamentais para o controle do distúrbio como: parar a proliferação celular, modular a resposta imune e interferir nos nervos dessensibilizadores que transmitem dor.

Ou seja, o uso terapêutico da cannabis é capaz de proporcionar alívio da dor e pesquisas indicam que pode ser uma alternativa promissora para impedir a progressão da endometriose.

Se você sofre com a endometriose, mais saúde e qualidade de vida através de um tratamento que oferece, relativamente, poucos efeitos colaterais, que possui um alto grau de segurança e que tem se demonstrado bastante eficaz, pode ser uma opção para você. Então procure acompanhamento profissional para avaliar o seu caso.

Se você é uma médica ou profissional da saúde, aqui vai uma dica imperdível: De 03 a 05 de agosto de 2021 acontece o II Congresso de Cannabis Medicinal, o CNABIS 21. Assista à palestra “Cannabis na Saúde da Mulher” da Dra. Genester Wilson-King no CNABIS 21. No dia 5 de agosto ela abordará o tema com todas as referências científicas que amparam a utilização da cannabis como ferramenta terapêutica para tratar condições como a endometriose.

O CNABIS 21 é um congresso online gratuito que abordará temas relevantes sobre a cannabis e seu potencial medicinal.Inscreva-se gratuitamente aqui. Caroline Silva Santos Líder de Conteúdo na empresa Dr. Cannabis. Com formação em Produção Publicitária, estuda sobre cannabis há mais de 10 anos e trabalha no setor há 4. Caroline possui 8 anos de experiência no mercado de comunicação e conteúdo, com passagem por agências e empresas como a Gerdau. É membro do comitê de organização do CNABIS - Congresso de Cannabis Medicinal.

114 views0 comments

Recent Posts

See All